Dicas & Idéias Fotos & Relatos Planilhas & Roteiros Clubes & Associações Manutenção & Mecânica Curiosidades & Crônicas Fale Conosco

Ushuaia 99 - Parte 4
A viagem dia-a-dia 04/01 - 05/01)

Descrição da viagem dia a dia:

04 - Paso de los Libres - Zarate (ruta 14) - Laguna Lobo (ruta 3).mapa0405.jpg (30156 bytes)

Saímos cedo do Motel, tomamos café no mesmo posto YPF e voltamos a ruta 14. Nosso destino era chegar o mais ao Sul possível de Buenos Aires, sem passar pela mesma. Seguimos em direção a Zarate e passamos pelos primeiros postos de pedágio. Foi ai que o Neto descobriu que o pedágio na Argentina depende da altura do carro. Ele pagava mais do que os outros porque estava com o bagageiro mais cheio e mais alto que o meu.

u04.jpg (42565 bytes)Também encontramos as primeiras plantações de girassol. Paramos para tirar fotos, pois eu estava devendo uma à Tércia desde a viagem de bicicleta ao longo do Danúbio. Em uma destas saídas da estrada a Tércia estava dirigindo e passou por uma pontezinha cheia de barro. Acelerou, jogou barro para cima e passou. Os outros foram cavando o barro e o Fernado quase atola o JPX ! Não voltamos para o asfalto pela mesma ponte, demos a volta. Paramos para comprar laranjas. Já perto de Zarate, ruta 12, passamos pelo pantanal argentino, antes de cruzar o rio Paraná.
ushuaia04.jpg (26835 bytes)Depois de Zarate paramos em um posto YPF para abastecer, lavar os para-brisas atulhados de libélulas e nos informar sobre o caminho para contornar B.A.. Dois simpáticos argentinos nos deram as dicas. E com a navegadora bem afiada conseguimos acertar o caminho que ia serpenteando pelos campos. Vimos que não daria para ir tão longe como haviamos planejado e comecei a garimpar no Guia um lugar que tivesse camping. Laguna Lobos se tornou o nosso objetivo. Passamos por Lujan e Canuelas e chegamos a cidade, onde nos informamos em um posto YPF sobre o caminho para os campings a beira da Laguna.
ushuaia05.jpg (27201 bytes)Também teve um radio-amador que entrou em nossa freqüência e deu umas dicas. Aliás, o tempo todo ficavamos papeando pelo rádio para nos manter em contato e trocar idéias a respeito da paisagem. Além disso, procuravamos manter o Enio acordado pois ele estava sozinho no carro. Encontramos um bom camping do Automóvel Clube Argentino e nos instalamos. Saímos para comer em um outro camping a beira do lago, onde chegamos bem tarde, mas o pessoal abriu o restaurante e ativou a cozinha só para nos atender.
 u04b.jpg (55336 bytes)

05- Laguna Lobos - Bahia Blanca - Viedma.

Esse dia foi puro " tapete preto". O engraçado foi que, ao pararmos em um posto para abastecer e apareceram um repórter e um câmera da TV local para nos entrevistarem. Demos a entrevista com prazer e partimos. Entramos oficialmente na Patagonia, depois de termos os carros devidamente lavados com inseticida (pagamos por isso) e termos que jogar fora todas as frutas que tínhamos no carro. O Neto teve um pneu cortado por um ferro caído sobre o asfalto. A próxima cidade grande era Bahia Blanca. Entramos em uma das entradas da cidade e paramos em um posto em frente ao shopping center. O frentista que nos atendeu se dispôs a nos ajudar a telefonar para as lojas de pneus para ver se encontrávamos os BF Goodrich Mud na medida que o Neto usa. Três telefonemas e já sabíamos onde comprá-los e o preço era o mesmo de São Paulo. Fomos até a loja. Enquanto o Neto montava o pneu nós ficamos esperando em um posto Shell perto de outra saída da cidade que ia dar direto na ruta 3. O pessoal do posto Shell não entendeu a razão de estarmos ali, mas nos ofereceu água e os banheiros para nos lavarmos ou tomar banho. Aproveitamos para drenar os filtros de diesel e dar uma arrumadinha dentro dos carros. Tem um detalhe, o Neto ficou tão preocupado em arrumar o pneu que deixou a Rosa para trás. Dissemos que ele a havia trocado pelo pneu. Teve também o episódio do Enio correndo dos cachorros no depósito de pneus. Também, quem mandou se meter onde não era chamado !ushuaia06.jpg (27881 bytes) Continuamos até Viedma. Chegamos com o dia já escuro e paramos em uma quitanda de esquina para perguntar por um hotel. Como eu falava melhor espanhol que os outros, sempre me tocava essa parte. Entrei em uma quitanda e perguntei por um hotel. Um senhor muito simpático me deu a explicação para chegar em um " Residencial" bom, barato e com "cochera". Combinamos de tomar um banho rápido e ir a um restaurante. Na hora de sair conversei um pouco com o porteiro do hotel e ele nos deu uma excelente dica. Em vez de seguir a ruta 3 deveríamos tomar o caminho da costa, passando por uma Loberia e diversas praias. Sairíamos mais ao Sul na mesma ruta 3. É claro que todo mundo topou na hora. Fomos jantar sabendo que no dia seguinte íamos começar a nos divertir de verdade.

Anterior Acima Próxima